Livre estou!

Hey, hey!

Definitivamente está concluída a minha primeira graduação: Bacharel em Jornalismo! Obrigado, obrigado! Foram longos quatro anos de muitas teorias, algumas inimizades (porque nada é perfeito) e claro, amigos!

Nesta segunda-feira, dia 14 de dezembro, apresentei o meu Trabalho de Conclusão de Curso à banca examinadora e fui aprovado com nota 9,5. Se eu disser que adorei a nota, estarei mentindo... Não querendo ser melhor que os outros, com o ego lá em cima afim de inferiorizar os demais colegas, mas com o objetivo de eu dar o meu melhor, de produzir o meu melhor trabalho e fazer a minha melhor apresentação.

Creio que as pessoas - vou generalizar para universitários -  devem sempre buscar dar o melhor de si como um crescimento pessoal. Após a apresentação eu cheguei em casa meio frustrado, afinal eu queria provar o meu potencial a mim mesmo tirando a nota máxima. Porém, fui recebido pela minha mãe com uma garrafa de champanhe, porque ela sempre acreditou no meu potencial e tinha a absoluta certeza que eu seria aprovado, independentemente da nota. Então (após ficar bêbado com apenas duas taças) eu parei, refleti, e me lembrei dos meus ídolos (vulgo artistas). Eles têm o reconhecimento que eles têm, não porque nasceram perfeitos, sabendo de tudo, mas porque eles tentaram sempre dar o melhor de si. E quando temos um ídolo, nós não apreciamos apenas o seu trabalho, mas apreciamos os seus valores, suas virtudes, suas perdas e conquistas. Porque é disso que um ídolo é formado: inspiração!

Quando a Beyoncé lançou inesperadamente o seu último álbum autointitulado em 13 de dezembro de 2013, ela publicou no YouTube um pequeno documentário divido em cinco partes sobre o processo criativo deste trabalho. E foi algo que ela disse em um desses vídeos, que me deu um "click" e eu pude perceber que por mais que a gente dê o nosso melhor, a gente pode perder, porque tínhamos que perder e aprender a lidar com isso. Neste vídeo (clique aqui), a Diva diz o seguinte:

"Quando estava no estúdio, eu estava colocando canções juntas e coloquei parte desta performance que foi um momento realmente definitivo na minha vida quando criança. Na minha cabeça, nós iríamos performar no Star Search, iríamos vencer, iríamos ganhar um contrato de gravação e esse foi o meu sonho naquela época. De jeito maneira no mundo eu imaginava que perder era uma possibilidade. Sabe, eu tinha apenas nove anos de idade, então nessa hora você não percebe isso. Que você realmente poderia trabalhar super duro, dar tudo de si, e PERDER! Esta foi a melhor mensagem para mim! Quando eu coloquei Ed McMahon nos apresentando como o 'grupo de hip-hop e rap Girls Tyme!' (The hip-hop rappin' Girls Tyme) estalou algo em minha mente! Eu senti algo como a agressividade em Bow Down e a atitude de Flawless. A realidade é que algumas vezes você perde! E você nunca é bom o bastante para perder, nunca é grande demais para perder, nunca é esperto demais para perder. Acontece! E acontece quando tem que acontecer! Você precisa abraçar essas coisas!" 

Portanto, não tirei a nota dez que eu gostaria, mas tirei a nota que eu merecia. Agora é seguir em frente e continuar buscando fazer o meu melhor, porque capacidade todos nós temos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Críticas positivas ou construtivas serão muito bem-vindas!
Sem ofensas, por favor! De ruim já basta a vida, rs

Instagram