Review: O Demonologista (by Andrew Pyper)

Edição da Darkside Books

Deixe de lado tudo o que você sabe sobre a clássica história bíblica do anjo caído e conheça a versão protagonizada pelo próprio Mal. Em O Demonologista, de Andrew Pyper, o renomado professor da Universidade Columbia, David Ullman, se vê confuso e desesperado após presenciar uma possessão demoníaca e a pseudo-morte de sua filha numa viagem à Veneza.

O pesadelo de David começa quando ele recebe uma visita um tanto quanto peculiar. Com ela, um proposta totalmente misteriosa que o força a aceitar: um trabalho. Sem saber do que se trata e com o casamento à beira do fim, o professor se joga nesta aventura cheia de ocultismo e maldade. Porém, sua filha Tess suicida-se, mas seu corpo não é encontrado. Ateu e especializado no poema Paraíso Perdido, de John Milton, Ullman precisa se convencer de que a mitologia do Diabo é uma história real. Somente assim ele será capaz de coletar pistas para encontrar a garota, no qual sua presença pode ser sentida pelo pai.

A história é narrada pelo próprio David. Simples, inteligente, de bom caráter, melancólico e sarcástico. É fácil se apegar ao personagem e sentir suas emoções a flor da pele. O Demonologista traz ainda um outro lado de Satã. Uma criatura astuta e persuasiva que busca pela sua aceitação na Terra e, vide mostrar também, que Deus é tão tirano quanto. Tudo isso é regado com versos de Paraíso Perdido, resultando o livro em uma interpretação própria do poema de Milton.

O que eu achei interessante nesta obra é o equilíbrio entre terror e leveza, visto que David é "gente como a gente". Me encantei pelo professor logo nas primeiras páginas por não ser um herói estereotipado, mas sim um homem de bem, com medos, angústias, e o principal: amor incondicional pela filha. A história é justamente sobre a demonstração do amor de um pai. Um sentimento tão puro e forte que é capaz de fazer as piores coisas a mando de um demônio em prol do reencontro com a filha.

Já o livro, lançado no Brasil pela DarkSide Books, é impecável! A capa dura totalmente estilizada como um antigo exemplar traz de imediato uma curiosidade em particular para ler a história. Sua textura aveludada dá um toque a mais para o charme do periódico. Além disso, a tradução, impressão em folha amarelada e gravuras elevam o prazer da leitura.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Críticas positivas ou construtivas serão muito bem-vindas!
Sem ofensas, por favor! De ruim já basta a vida, rs

Instagram