Planejando a primeira viagem internacional


Viajar é o sonho de todos, mas realidade de poucos - infelizmente. Poxa, o mundo está aí naturalmente disponível mas o homem, com toda sua ganância, limitou o acesso à nossa própria Terra. Trágico, não? Só que eu não sou nenhum dono da verdade ou mesmo dono de um terreno. Tendo isso em vista, sabemos que o planeta é delimitado por territórios e grupos políticos, onde os que possuem maior capital dispõem de recursos para viajar internacionalmente.

Em junho eu tive a oportunidade de viajar para Londres e por ser a minha primeira viagem internacional, o nervosismo, ansiedade e dúvidas me socaram no estômago. Mas respirando fundo e pensando racionalmente eu consegui me organizar para que meu sonho não se tornasse um pesadelo. E pensando nos futuros viajantes, resolvi fazer esse texto para contar da minha experiência e tentar, de alguma forma, auxiliar nos milhares de trâmites. Então vem comigo, mores!

1º Passo - Documentação

Aquela fotinha clichê que todos amam!
Eu já havia decidido o meu primeiro destino internacional desde criança - que seria Londres - e tendo isso em vista, corri atrás do documento mais básico: o Passaporte! Se você já tem um, verifique a data de validade dele, pois é necessário ter validade mínima de 6 meses no período da viagem; caso contrário, vai precisar emitir um novo documento. Já no meu caso precisei emitir o meu primeiro passaporte e não obtive nenhum problema.

Para emitir é bem simples: entre no site da Polícia Federal e preencha os campos obrigatórios com todo cuidado para não haver erros. Ao final, será emitido o protocolo juntamente com a GRU (Guia de Recolhimento da União), que é nada mais, nada menos do que um boleto para o pagamento de impostos em cima da emissão do passaporte. O valor é na faixa de R$230,00. 

No próximo dia útil após o pagamento da GRU será possível agendar seu atendimento presencial com a Polícia Federal (o agendamento é feito online, mas só é possível após ter pago o imposto). Vá munido de seus documentos originais (leia o que é preciso levar lá no site da PF); eles vão apenas conferir se você é a mesma pessoa que está solicitando o passaporte (e provavelmente devem checar se você tem problemas judiciais, sei lá), vão coletar suas digitais e fotografar seu rosto para o documento. Em seguida eles irão te devolver o protocolo com a data prevista de entrega do "azulzinho".

Quando estiver com o passaporte em mãos, o mundo é seu, more (desde que tenha dinheiro para sobreviver nesse planeta capitalista)! Vale salientar que há países/regiões que não exigem o visto antecipadamente, como é o caso do Reino Unido. Contudo, há outros que pedem, como os EUA ou Canadá. Por isso é preciso pesquisar e correr atrás do seu VISA caso necessário.

Atenção!

Além do passaporte, que é essencial para qualquer viagem internacional, é necessário fazer um Seguro Viagem. Por mais que você ache que não precisará de atendimento médico, sempre existirá uma possibilidade de acontecer um imprevisto como intoxicação alimentar, uma queda, um acidente, etc. Mas não só isso! O oficial pode solicitar a apólice do seguro quando você passar pela imigração então é melhor prevenir do que remediar.

2º Passo - Destino

Pesquise bem sobre o país que você quer conhecer, tal como os procedimentos para adquirir o visto, o clima na época da viagem e como você vai se deslocar ao chegar no aeroporto. Londres é uma das cidades mais caras do mundo, então o planejamento é mais que essencial, até mesmo porque o visto é dado lá no aeroporto quando você passa pela imigração. Imagine a frustração de investir em malas, passagens, acomodação e, ao chegar na imigração, ser rejeitado por não estar levando grana o suficiente ou não consiga comprovar que retornará pleno para o Brasil! 

Minha viagem foi meio que às pressas (sim, pesquisei várias coisas em 8 meses para que tudo desse certo). Foram semanas pesquisando hosteis, hoteis e quartos no AirBnb, deslocação do aeroporto para a acomodação, e coisas do tipo. Em resumo: pesquise sobre o destino, leia relatos de outros viajantes, estude sobre a cultura local e assista vídeos para se visualizar lá na gringa.

3º Passo - Passagens

Nesse ponto eu já tinha o ingresso para ver as Spice Girls (clique aqui para ler sobre os motivos da minha viagem), havia buscado meu passaporte e reservei um quarto com uma fã da girlband para dormimos em Coventry. Ainda faltavam outras coisas, mas em essencial, as passagens! Foram meses buscando pelo melhor custo-benefício. Mas antes de comprar eu percebi que sairia tudo muito caro para passar apenas 8 dias na Inglaterra. Foi então que decidi completar o mês fazendo um intercâmbio! Fechei 3 semanas de aulas pela Egali Intercâmbios e, assim, passaria 4 semanas inteiras vivendo em outro país. Contarei sobre a experiência em breve, mas o fato é que ainda faltavam as passagens.

Eu procurava por rotas e preços de passagens quase que diariamente. Inesperadamente durante meu expediente resolvi fazer uma pesquisa no site da TAP - que tem voos Salvador-Londres - e encontrei uma baita promoção: R$400,00! Antes eu só estava encontrando tickets entre R$1.200,00 e R$2.000,00 mas de repente me veio essa bomba do amor! Então fica a dica: pesquisem dia e noite em sites de companhias aéreas. Agências de viagem tendem a ser mais caras, mas se tiver coragem, compre por conta própria - entrega na mão de deus se você for religioso, o que não é meu caso.

Atenção!

Leia os mínimos detalhes sobre os voos nos sites pesquisados, principalmente quais são as normas exigidas para as bagagens. Já pensou se você compra uma passagem num preço maravilhoso e na hora do check-in descobre que vai ter que pagar para despachar sua mala? Esse procedimento é caríssimo! Portanto, leia no site sobre o número de bagagens permitidas, o tamanho delas e o peso. No meu caso eu poderia levar até 3 malas de 158cm e 23kg cada, mais 1 mala de mão. Tirei a sorte grande, bicho! Fique atento!

4º Passo - Acomodação

Atualmente os viajantes andam preferindo ficar em hosteis ou em quartos/apartamentos/casas pelo Airbnb. Nos meus primeiros 6 dias eu me hospedei com uma anfitriã e pelos dias seguintes fiquei numa acomodação proposta pela Egali (fechei o pacote de curso + acomodação). O melhor é que tive meu quarto individual, e era justamente isso que eu queria, pois hosteis tendem a ter quartos com 4 ou 6 ou 8 camas, e passar um mês inteiro dividindo quarto com diversos desconhecidos pode ser interessante, arriscado ou desconfortável.

Mas é isto. Pesquise bastante sobre o imóvel, leia comentários de outros hóspedes, se possível mande mensagem para o anfitrião ou hotel e tire suas dúvidas, confira no mapa se é um local acessível, seguro, próximo a restaurantes, mercados e transportes públicos. Viagem é para ser divertida, e não estressante.

5º Passo - Dieros

Nesse ponto é óbvio que você vai precisar de grana para se manter durante a viagem. Mas quanto é necessário levar? Isso vai depender do destino, do tempo que você vai passar viajando e qual o propósito da viagem. Não adianta levar dinheiro demais, mas também não se deve levar dinheiro de menos. Pare por umas horas e coloque no papel o que você pretende gastar por dia (transporte + alimentação + comprinhas). Se planeje e não conte com a sorte, conte com seu dinheiro.

Não deixe para comprar as moedas faltando pouco para a viagem. Tenta ir comprando uma quantidade por mês sempre que o câmbio estiver baixo (fique sempre atento ao câmbio, pois em questão de minutos o valor pode subir ou diminuir horrores). Além disso, não conte apenas com o dinheiro em espécie, faça um cartão pré-pago e vá recarregando com a moeda do país (se o voo fizer conexão num país de moeda diferente, é bom ter um tiquinho de grana nessa moeda também, pois vai que você queira comer no aeroporto ou vai que o voo seja cancelado de última hora), e claro, leve também um cartão internacional, mas evite usá-lo o máximo possível (lembre-se que há taxas de câmbio para cada compra).

Falando sobre minha experiência, levei cerca de £1.600 para passar o mês em Londres. Meus cálculos eram de gastar £5 por refeição (e acabou sendo menos que isso). Ao final, percebi que levei dinheiro demais (o que não foi ruim, de todo modo).

6º Passo - Bagagem

Tem malas? São resistentes? Estão dentro do tamanho e peso permitidos? Se a reposta for sim, parabéns! Se não, invista em malas de boa qualidade. Não estou dizendo para comprar das mais caras, mas sim as que oferecem melhor custo-benefício. Falei um pouquinho sobre isso neste post, onde mostro minhas malas lindíssimas da American Tourister.

Como falei anteriormente, é importante saber como vai estar o clima na época da sua estadia. Se for uma época de frio intenso e você não tiver roupas adequadas, leve apenas o suficiente para quando chegar ao destino e compre as roupas lá, pois elas serão próprias para a ocasião e mais baratas do as do Brasil. E independentemente do clima, não exagere na quantidade de roupas, afinal, você vai querer comprar lembrancinhas, peças de roupas, chocolates chiques, enfim, e não vai querer que sua bagagem exceda o limite.

7º Passo - Pastinha Sagrada 

Acredito que seja do conhecimento de todos que é preciso levar seus documentos, dinheiro, jóias, eletrônicos e demais itens valiosos juntamente com você em sua mala de mão. Nem pense em contar com a sorte e tentar despachar alguma dessas coisas na mala de porão. Não faça a doida! Mas, falando especificamente sobre documentos, é importante que você monte uma pastinha com toda sua vida: passagens de ida e volta, reservas de hospedagem, ingressos (se for o caso), cópias de RG e passaporte, carta de acomodação/matrícula do curso (se for o caso), etc.

Dica de ouro: levem algum documento original além do passaporte e guarde num lugar diferente e seguro, pois se você perder o passaporte, o consulado vai precisar de um documento original para emitir um novo e evitar que você seja deportado.

8º Passo - Roteiro


Esqueci o nome do prédio (cuidado com a burra!) mas fica em Coventry. Lindo, não?
Pesquise direitinho sobre o destino e vá anotando a maioria dos lugares que você tem intenção de visitar. Aliás, ter isso em mente e impresso pode te ajudar bastante ao passar pela imigração. De qualquer forma, anote os principais pontos turísticos que você deseja conhecer juntamente com seus respectivos endereços, pois isso vai facilitar muito a sua vida. Se quiser algo ainda completo, estude os pontos pelo mapa e organize seu roteiro de acordo com a distância entre cada atração, pois assim você polpará tempo.

Como eu iria estudar e passar um mês inteiro, resolvi não criar um roteiro completo (apenas anotei alguns lugares e endereços que eu queria visitar). Minha intenção foi de explorar a cidade por conta própria.

Independente de elaborar um grande roteiro ou não, especifique alguns locais que podem ser importante para a sua viagem, como por exemplo a localização do estádio daquele show que você pretende ir, o endereço do hospital mais próximo da sua acomodação, uma listinha de telefones úteis (polícia, bombeiros, seguro de vida, etc).

Finíssimo tomando minha sidra de manga!
9º Passo - Divirta-se!

Ao conseguir seu visto e passar pela imigração, o mundo é seu! Então aproveite cada momento, cada paisagem, cada comida, cada pessoa. Registre o máximo que puder mas também não fique preso a isso. Eu não tirei fotos o bastante por estar apreciando e absorvendo tudo o que estava ao meu alcance e com certeza num retorno eu estarei com um novo olhar e provavelmente focarei em registrar os mínimos detalhes, mas isso vai de cada um.

E sim, você vai chegar muito cansado e sofrendo com o fuso horário mas deixa para descansar quando voltar para casa. Evite dormir até tarde e aproveite seu tempo para explorar a cidade, principalmente o que não estiver no roteiro!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Críticas positivas ou construtivas serão muito bem-vindas!
Sem ofensas, por favor! De ruim já basta a vida, rs

Instagram